Conversas XI-XX no/at Incredibletypes

(clique na imagem/click the image)

Posted in Artigos/Articles, Publicações/Publications | Leave a comment

Entrevista à Constança Saraiva e Mafalda Fernandes sobre as Conversas na Rua de Baixo

Captura de ecrã 2013-06-16, às 16.52.17

Link para a entrevista: http://www.ruadebaixo.com/conversas.html

CONVERSAS

A Comunicação é um ponto de encontro. Conversa com Constança Saraiva e Mafalda Fernandes

A Cultura em Portugal é um dos bens mais preciosos, e urge cultivar a sua divulgação a vários níveis. A confluência de interesses e as diferenças que regem os diferentes ramos culturais podem funcionar como um ponto aglutinador, algo que representa um pouco da portugalidade enquanto herança, enquanto iniciativa que extravasa conceitos espácio-temporais.

A Comunicação é, por excelência, a melhor forma de fazer divulgação e é nesse contexto que surge o projecto Conversas, um ponto de encontro que pretende reunir pessoas das mais variadas áreas e que promove encontros semanais com profissionais, da música ao design, da engenharia à medicina, da dança à antropologia, da dança à filosofia.

A ideia surgiu das cabeças da Constança Saraiva e da Mafalda Fernandes que, todas as quartas-feiras, reúnem convidados em dois ateliers na capital. Assim, “A Década” e “A Rosa”, no Bairro Alto, são o palco destas reuniões especiais onde se podem beber “médias” em troca de uma moeda de euro. A entrada é livre.

Para além das agradáveis e sempre surpreendentes conversas, esses encontros são registados em plataformas online (blog, facebook e streaming) e, de dez em dez Conversas, é feita uma publicação que arquiva os momentos passados no âmbito destas tertúlias faladas. A coordenação deste projecto, para além da Constança e da Mafalda, conta com a participação de designersconvidados, fotógrafos e tradutores, pois estas edições são bilingues (Português/Inglês).

Para ficarmos mais por dentro desta interessante iniciativa, estivemos à conversa com a Constança e a Mafalda.

conversas_inside

Como surgiu a ideia destas “Conversas”?

A Constança estudou Escultura na Faculdade de Belas-Artes, e lá para o final do curso decidiu deixar o trabalho com o ferro e as soldaduras para começar a trabalhar com pessoas. Hoje em dia interessa-se sobretudo pela prática artística que envolva pessoas e comunidades, tema que desenvolveu na sua tese de mestrado. A Mafalda licenciou-se em Design de Equipamento, na mesma faculdade, e quando lhe perguntam “O que andas a fazer?” ou “Estás a trabalhar na tua área?” fica sempre nervosa e inquieta. Normalmente a resposta é: “Estou a trabalhar em muitos projectos e sim, nenhum deles me dá dinheiro”. Na verdade, “Design é só uma das ferramentas que usa no seu dia-a-dia”.

Alguns anos depois de acabarmos a faculdade, onde ficámos amigas, apercebemo-nos que sabíamos muito pouco sobre os projectos quee cada uma e que os nossos amigos andavam a desenvolver, a pensar e a planear. Sentimos necessidade de saber o que é que questionavam, o que os intrigava, em que é que pensavam, e precisávamos de arranjar tempo para isto, tempo para estarmos uns com os outros para além de um café ou de um copo, para além de uma conversa superficial e do negativismo e frustração que tantos sentimos nos dias de hoje.

Decidimos, então, organizar um encontro todas as quartas-feiras, dia calmo da semana, para colmatar esta lacuna. Hoje em dia parece que não há tempo para falar das coisas com calma e agora às quartas-feiras é possível conversar sobre projectos, ideias e visões que verdadeiramente apaixonam os oradores e inspiram todos os participantes.

Sentem que a Cultura em Portugal é um “parente pobre”?

Infelizmente, como todos sabemos, a Cultura em Portugal, como em muitos outros Países, está a passar por períodos muito complicados. As Conversas nasceram para serem um momento de encontro, diálogo e discussão, com o objectivo de criar um momento mais social que cultural. A noção de discussão e de diálogo entre pessoas é muito importante; esta necessidade de encontro com o Outro e a falta de tempo para ele deve-se à economia capitalista em que vivemos actualmente. Também o aparecimento das novas tecnologias das últimas décadas, desde a televisão à internet em casa, criou um individualismo crescente e generalizado em todo o mundo ocidental. As principais estratégias na actualidade são a competição e especulação e têm influência e consequências directas em nós. Os seres humanos têm vindo a ser desencorajados do sentido de comunidade e de participar em actividades da esfera social. Isto reflecte-se sobretudo nas grandes cidades, como Lisboa. As Conversas são sintomáticas de uma necessidade do sentimento de comunidade e situam-se entre muitos outros projectos — artísticos, culturais e sociais — que nas últimas duas décadas têm vindo a surgir em Portugal e pelo mundo fora. O sentido comunitário tem sido afectado, mas, é por isso mesmo, que temos razões para desafiar tal pessimismo.  As Conversas são, mais do que um evento cultural, um lugar de possibilidades de novas parcerias, amizades e inspirações.

Como é feita a escolha dos convidados? Pensam em algum tema em particular e depois avançam ou optam por algo aleatório?

Acreditamos que todos os seres humanos têm algo de muito bonito para partilhar. As Conversas são um projecto despretensioso, acolhedor e aberto a todos. Os nossos “convidados”, a quem chamamos afectivamente de “Conversadores”, começaram por ser amigos,  passaram aos amigos dos amigos, e dos amigos dos amigos a interessantes desconhecidos. Neste momento também participam nas Conversas pessoas que se propõem de forma espontânea por terem ouvido falar da iniciativa já sem se saber muito bem por quem. A comunicação gerada nestas quartas-feiras cria um sentimento de pertença sentido por nós e por todos. Este sentimento levou-nos a uma conclusão — estamos todos a criar um lugar em comum. E estamos todos a criar uma comunidade das Conversas.

A ideia de registar o que se passa nas tertúlias em livro é uma forma de criar um arquivo especial ou um género de agradecimento aos convidados?

As publicações (feitas de dez em dez Conversas) funcionam, sim, como um arquivo de todos os conteúdos dos participantes e de projectos desenvolvidos por Conversadores no âmbito das Conversas. Foi desde o início uma forma de criar um objecto-memória dos momentos irrepetíveis que são as Conversas. São publicações independentes feitas com muito trabalho e energia, a edição e produção fazemos nós, as designers gráficas (até agora foram só meninas: Eva GonçalvesIsabel LucenaJoana Durães e Mariana Veloso) fazem a paginação, o Miguel Rodrigues faz as traduções e o Miguel Lopes e o Ricardo Pereira tratam das fotografias. Já tivemos, também, o apoio, sobretudo logístico, de várias entidades/pessoas: da Biblioteca Municipal Camões, da Epson, do projeto Eyesight, da Gráfica VMMG, do Sr. IlÍdio António, da Indústria Portuguesa de Tipografia, da Junta de Freguesia da Sé e da PhotoFinish. A tiragem das publicações impressas é muito pequena, (neste momento são 100 exemplares) o que torna estes livros objectos raros e de colecção! A publicação bilingue (Português e Inglês) justifica-se pelos vários Conversadores e público estrangeiro que regularmente aparecem nestas quartas-feiras, assim como o objectivo inerente em apresentar e divulgar o projecto além Portugal.

A versão online das primeiras três publicações está disponível no Facebook e no Blog das Conversas onde é também possível subscrever a newsletter do projecto.

Ao ver a vossas publicações online, entretanto esgotadas em formato livro, apetece fazer parte delas, participar. Têm notado maior adesão ao vosso projecto?

As duas primeiras publicações estão esgotadas, mas da terceira e da quarta ainda temos alguns números disponíveis. As primeiras três publicações estão acessíveis a todos na versão online (aquiaqui aqui). As publicações são um óptimo meio de comunicação das Conversas, e sentimos, sem dúvida, uma crescente adesão ao projecto. Temos todas as semanas novos curiosos e muitos deles fazem das Conversas um programa semanal, ao qual nunca mais deixaram de vir. Mas estas pessoas, na sua maioria, souberam do projecto através de amigos, e muitas também pelo facebook. Houve já várias Conversas em que a adesão foi de 50 ou 60 pessoas, mas este número de público não é de todo o nosso objectivo, aliás, o limite físico do espaço dos nossos ateliers é o ideal: quando o número de participantes é maior, é mais dificil atingir o ambiente de diálogo e intimidade que permite gerar um diálogo real.

Até quando vamos ter estas Conversas e que surpresas estão a ser preparadas?

As Conversas têm já um ano e meio de existência e estamos muito perto da quinquagésima Conversa! Dentro da sua simplicidade e descontracção, é um projecto que envolve muito trabalho, nosso e de todos os colaboradores, sem qualquer apoio financeiro. Enquanto tivermos energia e tempo para fazer Conversas todas as quartas-feiras, elas vão continuar a existir! Quanto a surpresas… estamos neste momento a trabalhar num pequeno trabalho de investigação, em que nos interessa uma parceria em contexto académico, que vai resultar num “Manual das Conversas”, uma espécie de manual de instruções para podermos levar as Conversas a outras cidades, e outros Países. Este Manual (uma publicação também bilingue) procurará analisar o projecto comparando-o com projectos semelhantes, e a partir das suas especificidades elaborar um modelo do projecto Conversas. A criação deste modelo permitirá a repetição e reprodução por qualquer pessoa ou entidade, em qualquer lugar, de uma forma pedagógica, acessível ao público em geral. Esperamos que a distribuição do “Manual das Conversas”, acompanhada por workshops e apresentações sobre o projecto, corresponda ao crescimento, democratização e acessibilidade das Conversas.

Entretanto, como já é habitual entre séries de dez Conversas, iremos fazer um intervalo para preparar a próxima publicação, cujo lançamento está agendado para julho na Fábrica Features Lisbon. Este evento será acompanhado de uma nova exposição com trabalho desenvolvido pelos colaboradores e o lançamento do site. No mesmo mês, vamos fazer parte do festival de arte pública Walk & Talk nos Açores e iremos continuar a desenvolver Conversas Paralelas, como são exemplo os workshops que têm acontecido.

Créditos das fotografias

Topo: Ricardo Jorge Pereira

Corpo do artigo: Mafalda Fernandes e Sara Orsi

COMENTÁRIOS (0)
Posted in Artigos/Articles | Leave a comment

CONVERSA L na/at DÉCADA – dia 05|06 (4ªf) às 19H30

com/with:

ANDRÉ ALBUQUERQUE (POLIGONO – Arquitetura e Construção | Architecture and Construction)
MARIA E PEDRO (Educação | Education)
FREDERICO DUARTE (Quero escrever sobre isto: | I want to write about this:)

CONVERSAS _ PRETO - L

POLIGONO – ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO | ARCHITECTURE AND CONSTRUCTION

Como não há curso de Cidades, o André tirou Arquitetura. Agora pensa nas Cidades, como arquiteto. Após 7 anos em Madrid, as saudades da sua cidade – Lisboa – foram apertando tanto que decidiu regressar. Por cá, já vai no 2º filho: Depois da POLIGONO, protegido por dois corvos, vem aí o Vicente.

Since there isn’t a Cities degree, André did one in Architecture. Now thinks about Cities, as an architect. After 7 years in Madrid, he missed his city – Lisbon – so much that he decided to come back. Here he goes already in his 2nd child: After POLIGONO, protected by two crows, Vicente is on his way.

www.poligono.org

EDUCAÇÃO | EDUCATION

O Pedro e a Maria têm viajado pelo mundo, aprendendo que a diversidade e a variedade escondem o mesmo ser humano em todo o lado, com as mesmas preocupações, com os mesmos problemas e que têm a mesma raiz, a educação. Graças ao próprio percurso escolar e ao aparecimento do filho António têm aprofundado o estudo da educação estendendo-o até à universidade.

Pedro and Maria have been travelling through the world, learning that diversity and variety hide the same human being everywhere, with the same peocupations, with the same problems that have the same roots, education. Thanks to their own school path and the appearance of their son António they have been deepening the study of education

http://blog.ap-as.pt/

https://www.facebook.com/ApasAssociacaoPedagogica

QUERO ESCREVER SOBRE ISTO: | I WANT TO WRITE ABOUT THIS:

Frederico Duarte estudou Design de Comunicação em Lisboa, Crítica de Design em Nova Iorque e trabalhou como designer na Malásia e Itália. Hoje em dia só faz Design para o senhorio, mas lê e escreve, ouve e fala e pensa sobre o assunto. Isto quando não está a pensar na viagem à volta do Mediterrâneo.

Frederico Duarte studied Communication Design in Lisbon, Design Criticism in New York and worked as a designer in Malaysia and Italy. Nowadays he only designs for his landlord, but reads, writes, listens and talks about it. This is when he is not thinking about his trip around the Mediterranean.

http://www.05031979.net/


Estas Conversas são encontros informais para conhecermos e falarmos sobre os trabalhos uns dos outros. Acontecem todas as quartas-feiras, em Lisboa.
A entrada é livre e as Conversas serão em inglês sempre que necessário.
Há médias a um euro.

P.S. – as Conversas não vão ser longas nem aborrecidas.

These talks are informal meetings so we can get to know and discuss projects. They take place every Wednesday in Lisbon.

The entrance is free and the Conversas will be held in English whenever necessary.

We have ‘médias’ for one euro.

P.S. – the conversations won’t be too long or boring.

na Rua do Século, 162, Bairro Alto

Dia 05 de Junho, 4ªF, às 19h30

at Rua do Século, 162, Bairro Alto

5th of June, Wednesday, at 7.30pm

+info:

https://www.facebook.com/pages/Conversas/120202131442846

Posted in Década | Leave a comment

Artigo sobre a Quarta Publicação – Conversas XXXI – XL no Colher

Article about Conversas XXXI – XL at Colher

4_publicacao_2

(clique na imagem/click the image)

 

Posted in Talho | Leave a comment

Terceira Publicação / Third Publication – Conversas XXI – XXX (versão online/online version)

Terceira publicação Conversas OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Publicação: Conversas XXI – XXX (versão online)

Esta publicação foi feita no âmbito das Conversas: uma série de encontros muito informais para conhecermos e falarmos sobre os trabalhos uns dos outros. Acontecem todas as quartas-feiras, em dois ateliers em Lisboa: o Talho e a Rosa.
As Conversas são um projeto da Constança Saraiva e da Mafalda Fernandes.
//
This publication was made on the context of Conversas: a series of very informal meetings made so that we can get to know and discuss projects. They take place every Wednesday in two studios in Lisbon: Talho and Rosa. 
Conversas is a project by Constança Saraiva and Mafalda Fernandes.

Edição/Editing: Constança Saraiva e Mafalda Fernandes

Desenho Gráfico/Graphic Design: Mariana Veloso com a colaboração de Joana Durães/ Mariana Veloso in collaboration with Joana Durães

Textos por/Texts by: José Macena, Nathaniel H’Limi, Michael Liot, Duarte Aragão, Ricardo Pereira, Joana Reais Pinto, Manoel Jack, Lachlan Cox, Gonçalo Campos, Francisco Rosa, Das duas uma, Nuno Pereira, Tânia Araújo, Tânia Cardoso, Teresa Macedo, Edgar Pires, Sara Orsi, Catarina Neves Ricci, Inês Almeida, Teresa Gameiro, Filipa Nunes, Diogo Simões, Tiago Patrício, Joana Pupo, Patrícia Sousa, Rede ex aequo, Constança Saraiva e Mafalda Fernandes, Miguel Lopes, Miguel Rodrigues e Sofia Evans.

Tradução/Translation: Miguel Rodrigues

Revisão de texto português e inglês/Portuguese and english copy-editing: Constança Saraiva e Mafalda Fernandes

Fotografias/Photographs: Miguel Lopes e Ricardo Pereira

Tiragem/Print run: 100 exemplares/copies

Preço/Price: 5 euros
Reservas de exemplares e pedidos de envio por Correio: constancasaraiva@gmail.com

Envio por Correio Nacional: 7 euros
Envio por Correio Internacional Europa: 8 euros
Envio por Correio Internacional Resto do Mundo: 9.5 euros
Reservation of copies and mailing requests: constancasaraiva@gmail.com
//
Nacional Mailing (Portugal): 7 euros
Europe International Mailing: 8 euros
World International Mailing: 9.5 euros

Descrição/Description:

Como número primo que é, a 3ª publicação fez-nos pensar: era esta publicação um arquivo das Conversas XXI a XXX? Sim, mas queríamos que fosse algo mais. Após uma reflexão sobre as Conversas, verificámos que nesta edição tinha surgido um projeto de Fotografia, e o nosso tradutor quis refletir sobre esse projeto de Fotografia; a Constança e a Mafalda quiseram pensar e escrever sobre o projeto Conversas; e os posters tinham partido de um desafio lançado por elas. Assim, naturalmente, como sempre aconteceu, se foram criando sinergias que deram forma ao projeto: um arquivo das Conversas e algo mais. As Conversas, todas as quartas-feiras, encontram pessoas e geram conhecimento. Esta publicação causa, mais uma vez, encontro, mas procura também devolver.
//
As a prime number, publication number 3 of Conversas made us think: was this publication an archive of Conversas XXI to XXX? Yes, but we wanted it to be something more. After a reflection on Conversas, we noted that a photographic project had emerged, and our translator wanted to reflect on that project; Constança and Mafalda wanted to think and write about the Conversas project; and the posters had stemmed from a challenge they had issued. Therefore, naturally, as always, synergies were created that shaped the project: an archive for Conversas and a bit more. Conversas meet people and generate knowledge every wednesday. This publication causes a meeting, once more, but it also looks to give back.

Designer: Mariana Veloso

Posted in Publicações Online Publications, Publicações/Publications | Leave a comment

CONVERSA XLIX na/at ROSA – dia 29|05 (4ªf) às 19H30

com/with:
Joana Reais (A Voz e o Movimento | The Voice and the Movement)
Luísa Salvador
(Anatomia de uma montanha | Anatomy of a mountain)
Carlos Rebocho
(12 horas de clandestinidade | 12 hours of clandestinity)

CONVERSAS-_-PRETO---XLIX_online

JOANA REAIS

Joana Reais, cantora e performer alfacinha, gosta do Sol, do Mar, do Calor, das Pessoas, dos Sons e do Silêncio. Comunicativa e extrovertida por natureza, vem-nos falar da VOZ e do MOVIMENTO como ferramentas para chegar aos outros, metamorfoseando-se enquanto artista.

Joana Reais, a singer and performer from Lisbon, enjoys the Sun, the Sea, the Heat, the People, the Sounds and the Silence. Communicative and outgoing by nature, she will talk about the VOICE and the MOVEMENT as tools to reach the others, metamorphosing herself has an artist.

Facebook: Joana.Reais
www.myspace.com/joanarpinto

LUÍSA SALVADOR

Gosta de estar em trânsito e neste momento vive em Lisboa. Tem licenciatura em Escultura e mestrado em História da Arte Contemporânea. O seu desafio é cruzar aquilo que lê com o que faz, mas no fim “transformar a leitura numa disciplina é atribuir um papel demasiado importante a algo que não passa de um incentivo”.

She likes to be in transit and at the moment she lives in Lisbon. Has a degree in Sculpture and a master in Contemporary Art History. Her challenge is to cross what she reads with what she does, but in the end “transforming reading into a discipline is to assign a too important function to something that is nothing but an incentive”.

CARLOS REBOCHO

Onde o viajante nos explica como perder um avião por causa de uma horta no meio de um palácio de inverno; a diferença entre Pulkovo 1 e Pulkovo 2; como utilizar os dois telefones mágicos e a beleza transcendente de um carimbo.

The traveller explains how to lose a flight because of a kitchen garden somewhere in a winter palace; the difference between Pulkovo 1 and Pulkovo 2; how to use two magic telephones and the transcendent beauty of a rubber stamp.

 

Estas Conversas são encontros informais para conhecermos e falarmos sobre os trabalhos uns dos outros. Acontecem todas as quartas-feiras, em Lisboa.
A entrada é livre e as Conversas serão em inglês sempre que necessário.
Há médias a um euro.
P.S. – as Conversas não vão ser longas nem aborrecidas.

These talks are informal meetings so we can get to know and discuss projects. They take place every Wednesday in Lisbon.
The entrance is free and the Conversas will be held in English whenever necessary.
We have ‘médias’ for one euro.
P.S. – the conversations won’t be too long or boring.

na Rua da Rosa, 237, Bairro Alto
Dia 29 de maio, 4ªF, às 19h30

at Rua da Rosa, 237, Bairro Alto
29th of May, Wednesday, at 7.30pm

+info:
https://www.facebook.com/pages/Conversas/120202131442846

Subscrever newsletter/ subscribe newsletter:
http://conversasconversas.wordpress.com/

________________________________________________________________

Streaming das Conversas – Conversas’ Streaming

((( ◉ )))

Conversas_III_online

Ao longo de mais de quarenta Conversas, tornou-se cada vez mais evidente a emigração de jovens em Portugal e as estatísticas que as páginas do Facebook e Blog do projeto nos mostram, motivou-nos a criar mais um canal de comunicação.
Publicamos o link para o streaming na nossa página do Facebook meia hora antes das Conversas começarem — às 19h00 da hora Portuguesa.

Throughout more than forty Conversas, the emigration of young portuguese people became more and more evident and the statistics in the Blog and Facebook page motivated us to create another channel of communication.
We will publish the link for the streaming in our Facebook page half an hour before Conversas begin — at 7 p.m. Portuguese time.

Link:
http://www.ustream.tv/recorded/31256393

__________________________________________________________

Os novos cartazes – The new posters

Para os 10 cartazes das Conversas XLI à L lançámos um desafio à Ana Rita Teodoro, Beatriz Severes e Sara Orsi para os desenhar dentro das seguintes regras:
1. Uma hora, foi o tempo que pedimos para fazerem o template para os cartazes.
2. Preto e branco, porque os tinteiros de cor das nossas impressoras estão sempre no fim.
3. Nada de Indesign! (software essencial para os designers gráficos), os cartazes tinham que ser feitos no Google Docs, aplicativo por sua vez essencial para a organização das Conversas.

For the 10 posters of Conversas from XLI to L we challenged Ana Rita Teodoro, Beatriz Severes and Sara Orsi to design them within three main rules:
1. One hour was the time that we asked to design the template for the posters.
2. Black and White, because our color ink cartridges are always running out.
3. No Indesign! (essential software for graphic designers), the posters had to be done in Google Docs, which is also an essential application for the organization of Conversas.

Com mais de um ano de existência das Conversas muitas histórias foram contadas. Agarrando nessa memória, construímos uma máquina onde os vários fragmentos se reorganizam e se misturam, de forma aleatória, criando as diferentes bases dos novos cartazes. As futuras Conversas anunciam-se numa segunda layer, sobre as etiquetas de arquivo, ou seja, sobre a memória existente se vai construir mais memória, que vai continuamente alimentando esta máquina.

With more than one year of Conversas, lots of stories have been told. Taking from this memory, we built a machine where the various fragments reorganize and mix up randomly to create the basis for the new posters. Future Conversas are announced on a second layer, on the archive labels, meaning that new memories will be built over the preexisting one, thus continually feeding this machine.

Ana Rita Teodoro, Beatriz Severes e Sara Orsi

Posted in Talho | Leave a comment

CONVERSA XLVIII na/at DÉCADA – dia 22|05 (4ªf) às 19H30

com/with:

NU GOKU (Democracia Digital Direta | Direct Digital Democracy)
ROMES PINHEIRO (Escuta – O som do compositor | Escuta – The sound of the composer)
FILIPE CARDIGOS & SÉRGIO GAMEIRO (wetheknot)

Copy of CONVERSAS _ PRETO - XLVIII-final

NU GOKU

Nu, pensador, artista e músico é agora político. Traz para cima da mesa uma questão muito simples: o que é a democracia? Como experienciá-la? Qual a relação entre o indivíduo, o público e o facebook.

Nu, thinker, artist and musician, is now a politician. He presents us with a very simple question: what is democracy? How to experience it? What is the relationship between the individual, the public and facebook.

http://www.google.pt/

ROMES PINHEIRO

O Escuta é um coletivo de compositores de Música Popular. Um coletivo de individualidades. Desde a realização dos dois primeiros espetáculos, em setembro e dezembro de 2012, com a participação de compositores porto-alegrenses da nova geração, o projeto vem se ampliando e agregando outros cantautores.

Escuta is a collective of Popular Music composers. A collective  of individualities. Since the creation of their two first shows, in September and December of 2012, with the participation of composers from Porto Alegre of the new generation, the project has grown and assembled other singer-songwriters.

Facebook: ESCUTA – O Som do Compositor

FILIPE CARDIGOS E SÉRGIO GAMEIRO

“wetheknot” foi fundado por Filipe Cardigos e Sérgio Gameiro em 2010.

Ao trabalhar na fronteira quase imperceptivel entre a moda, artes visuais e design gráfico, procuram experimentar, de uma forma livre, novos materiais e técnicas que dão origem a edições limitadas.

“wetheknot” was founded by Filipe Cardigos and Sérgio Gameiro in 2010.

Working in that almost imperceptible frontier between fashion, visual arts and graphic design, they aim to freely experiment with new materials and techniques, originating limited editions.

www.wetheknot.com


Estas Conversas são encontros informais para conhecermos e falarmos sobre os trabalhos uns dos outros. Acontecem todas as quartas-feiras, em Lisboa.

A entrada é livre e as Conversas serão em inglês sempre que necessário.

Há médias a um euro.

P.S. – as Conversas não vão ser longas nem aborrecidas.

These talks are informal meetings so we can get to know and discuss projects. They take place every Wednesday in Lisbon.

The entrance is free and the Conversas will be held in English whenever necessary.

We have ‘médias’ for one euro.

P.S. – the conversations won’t be too long or boring.

na Rua do Século, 162, Bairro Alto

Dia 22 de Maio, 4ªF, às 19h30

at Rua do Século, 162, Bairro Alto

22nd of May, Wednesday, at 7.30pm

+info:

https://www.facebook.com/pages/Conversas/120202131442846

Subscrever newsletter/ subscribe newsletter:

http://conversasconversas.wordpress.com/

Posted in Década | Leave a comment